Jorge Riguette que é um militar da reserva, foi preso no dia 10 de outubro de 2018 em Nova Friburgo (RJ). Mas o caso só veio a tona na sexta-feira (18), quando a Procuradoria da República do Rio de Janeiro quebrou o sigilo. Ele estava na lista do FBI como um dos 100 maiores propagadores mundiais de pornografia infantil.

Segundo informações do site Carta Capital, Jorge morava sozinho e prestava alguns serviços como analista de informática. Durante a investigação, a Polícia Federal encontrou mais de 700 mil fotos e vídeos com pornografia infantil em seus computadores. O FBI informou que ele era muito famoso por divulgar o conteúdo via p2p, sigla para peer to peer, quando o arquivo é compartilhado de um computador a outro.

A delegada Paula Mary Reis de Albuquerque, que é responsável pelo caso no Brasil, comentou: “Haviam fotos de bebês, crianças de várias idades. Precisamos saber, por exemplo, se ele mantinha conversas com menores, se gravava vídeos, ou mantinha contato com estupradores.”

Jorge Riguette era famoso por defender a ditadura militar e espalhar muitas notícias falsas sobre o ‘kit gay’ em suas redes sociais. Muitas postagens defendiam o atual presidente Jair Bolsonaro e dizia que ia lutar contra o kit nas escolas.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!