Estou pra ver algo que gere mais curiosidade do que o pênis do homem. Desde a adolescência, quando nosso corpo passa por intensas transformações, é natural que a nossa cabeça (de cima) tente entender tudo o que está acontecendo.

Será que meu pênis é pequeno? O pênis dos meus colegas é maior? Meu pênis vai crescer mais? Fique sabendo que, mesmo na fase adulta, os mitos continuarão martelando na sua cabeça.

Negros são bem dotados e orientais não. Homens peludos têm pênis imensos e carecas não. Caras altos têm pênis pequenos e caras baixos têm pênis grandes. Ai meu Deus!

O fato é: essa obsessão pelo tamanho do membro alheio é legítima e desvendar alguns mitos sobre seu amigão se tornou uma brincadeira divertida. Abaixo, você confere os 5 principais mitos sobre o pênis:

1. Dá pra saber o tamanho do pênis apenas olhando o tamanho do pé do homem?

Esse é um dos mitos mais difundidos por aí. Ele é tão forte e disseminado que cientistas já dedicaram seu precioso tempo para tentar desvendá-lo. E não conseguiram, nenhuma das pesquisas foi conclusiva.

A verdade é que não há evidência científica que relacione o tamanho das mãos, dedos, punho, antebraço, pés, nariz, queixo, pomo-de-adão ou qualquer outra parte do corpo com o tamanho do membro.

2. É verdade o que dizem sobre negros e orientais?

Na crença popular, negros têm pênis imensos enquanto orientais sofrem com um problema crônico relacionado a isso. Mas não é bem assim. A média diz que negros têm entre 1 e 2 cm a mais que brancos e orientais têm de 1 a 2 cm a menos do que os dos brancos.

Essa média é feita da seguinte maneira: acontece uma pesquisa em um país com um grande número de homens, é criado um tamanho médio para o país no melhor estilo soma tudo e divide pelo número de pessoas que você usa para pagar a conta do bar e então esse número é comparado com outros lugares do mundo.

Nada assustador ou que diga que TODOS os homens são assim ou assado. Além disso, quando se fala de orientais e negros não estamos falando de mestiços, ok? Se tiver um tiquinho de sangue de outra etnia já colocou essa teoria por terra. E no Brasil o que mais existe é mistura, então…

3. Homens peludos têm pênis maiores?

A lógica simplista também é a guia dessa teoria. Homens têm mais pelos do que mulheres, portanto pelos são resultado da testosterona e, por isso, homens peludos têm pênis grandes. Desculpe, mas as coisas não funcionam assim.

A quantidade de pelos que uma pessoa tem é ligada a fatores genéticos e não a hormônios – muitas mulheres têm bastante pelo, sabia? – e a produção de testosterona feita pelos testículos não tem ligação nenhuma com o crescimento peniano.

4. A história do L – caras altos têm pênis pequenos e caras baixos têm pênis grandes – é verdadeira?

Nem a história do L, do L invertido ou de que caras grandes têm pênis grandes são comprovadas. É claro que é uma tendência que o pênis acompanhe o crescimento do resto do corpo, mas não é uma garantia. Nosso corpo tenta, em seu desenvolvimento, ser o mais proporcional possível, mas nem sempre isso é feito com exatidão.

5. O tamanho do pênis passa de pai para filho?

Sim, o tamanho provavelmente passa de pai para filho, é o que dizem alguns médicos, apesar de não haver pesquisas que façam um comparativo a fundo. E da mesma maneira que o tamanho segue uma linha hereditária, a neurose sobre o pênis ser grande ou pequeno também segue.

Quando o pai acredita que tem um pênis minúsculo – mesmo estando dentro da média -, o filho, que é educado naquela cultura, também acredita nisso. Mais importante do que passar um certo tamanho de pênis ao filho, os pais deveriam querer passar segurança, né não?

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!