As mulheres vêm conseguindo uma maior proteção contra o abuso físico com o surgimento de novos projetos de lei. Entretanto, a existência de iniciativas que protejam a vida do sexo feminino não são o bastante para diminuir a violência contra elas. Segundo pesquisa da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), quase 60% das mulheres são agredidas por seus parceiros nos países das Américas.

Os dados mostram que no Brasil, Panamá e Uruguai, uma em sete mulheres de 15 a 49 anos sofre com a violência física e/ou sexual, o que representa algo em torno de 14 a 17% da população feminina dos três países juntos.

Por mais que a violência contra as mulheres tenha sido reduzida nos últimos 20 anos em países como o Haiti, México, Nicarágua e Peru, a queda nos níveis de abuso físico é mínima.

Como consequência da violência, as mulheres sofrem com o feminicídio, doenças associadas à infecção pelo HIV, suicídio e mortalidade materna, bem como lesões, gravidez indesejada, transtornos mentais e problemas na saúde sexual e reprodutiva.

Países como a Nicarágua e o Canadá diminuíram a violência contra a mulher pela metade, de 11,9% para 6,1% e 2,2% para 1,1% respectivamente. Entretanto, na república Dominicana, o número aumentou de 9,8% em 2002 para 14,7% em 2013.

O que é um relacionamento abusivo (e como identificar)

Segundo a psicóloga Raquel Baldo, em artigo ao Minha Vida, um relacionamento abusivo é toda e qualquer relação onde uma pessoa exerce poder excessivo e contínuo sobre a outra, gerando no outro dependência, aprisionamento, medo, insegurança e receio de ser ele (a) mesmo (a).

Reconhecer que estamos em uma relação abusiva na maioria das vezes não é fácil, pois estamos habituados a conviver com ações e costumes abusivos, acreditando que o outro nos ama. Portanto, é necessário que algo chame nossa atenção, causando estranhamento, para começarmos a refletir que podemos estar sendo prejudicados pelo outro.

Raquel indica que você faça as seguintes perguntas para você mesmo ao tentar identificar se está em uma relação abusiva:

  • O que você busca ou espera quando está numa relação?
  • A sua relação te traz isso?
  • Você se sente capaz, produtivo e seguro de ser você mesmo ou depende do outro para tomar suas decisões?
  • Tem medo de perder o outro e por isso abre mão de seus prazeres?

“As respostas podem te ajudar a refletir sobre o que está acontecendo com você e também sobre o que pode fazer. Caso esteja muito difícil e você esteja com medo, não sabendo o que fazer, busque ajuda de alguém conhecido e confiável, mas principalmente de um profissional, para falar e se ouvir”, indica Raquel.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!