Quando acontece um grande vazamento de informações digitais, como já aconteceu com bancos e sites como Yahoo, que teve 3 bilhões de contas comprometidas, seus dados pessoais caem na deep web e o estrago pode nunca mais ser consertado.

Com seu labirinto de sites encriptados, que não podem ser localizados por mecanismos de buscas comuns e nem mesmo acessados sem a ajuda de um navegador próprio, a deep web concentra uma quantidade incalculável de dados, especialmente os que são vazados de sites populares e até mesmo de bancos. E não é possível mais saber quem tem acesso a eles, muito menos criminosos.

“Uma vez que criminosos tenham esses dados, os bits que formam esses dados estão gravados para sempre”, explicou o especialista em segurança eletrônica Roger Kay, à emissora Fox News. “A vida virtual dos dados é infinita, criminosos querem vendê-los e há todos os tipos de compradores interessados.”

Outro especialista em cibersegurança, Sherban Naum, afirma que “todos os usuários podem ter seus dados roubados em algum momento”.

Abaixo, seguem algumas opções para testar a segurança de seus dados e saber se eles foram hackeados ou não.

Como checar se seus dados vazaram

O site “Have I been pwned” (“Será que fui humilhado?”, em tradução livre, que usa uma gíria de internet para derrota em jogos online) tem uma lista de vazamentos de grandes sites e permite buscas em tempo real.

Lá é possível checar gratuitamente se seu endereço de e-mail foi hackeado. Uma checagem de endereço pode mostrar múltiplas quebras de segurança em sites como Adobe, Equifax e LinkedIn, que já tiveram vazamentos no passado.

Senhas eficientes

“O ideal é ter uma senha diferente para cada conta, cada site”, explica James Lerud, da empresa de ciber segurança Verodin. “Mas isso não é muito prático sem usar um gerenciador de senhas. Outra boa ideia é habilitar um sistema de autenticação de dois fatores para suas contas mais importantes.”

Segundo ele, o Google fornece, além da autenticação, uma checagem gratuita de segurança.

É possível recuperar dados?

Não. Uma vez que criminosos tenham seus dados pessoais em mãos, eles são copiados imediatamente inúmeras vezes, então não é possível recuperá-los.

Com bilhões de dispositivos conectados e trilhões de gigabytes na internet, localizar onde estão seus dados e tentar recuperar ou destruí-los é uma tarefa virtualmente impossível.

O ideal é prevenir, sempre alterando senhas fortes, com caracteres variados e sem combinações óbvias.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!