Único deputado assumidamente LGBT no Congresso Nacional, Jean Wyllys (PSOL) conseguiu se reeleger para seu terceiro mandato na Câmara.

Pela primeira vez em sua história política, Wyllys precisou lutar contra uma onda enorme de fake news a fim de desestabilizá-lo e incentivarem as pessoas a não elegê-lo.

Não é de hoje que o Jean é vítima de homofobia, principalmente dos eleitores de Jair Bolsonaro.

Após a vitória, Jean Wyllys agradeceu e avisou que “temos mais quatro anos de resistência”. “O que eu fiz nessa campanha foi resistir. Eu resisti a um ataque sem precedentes a um candidato. Só o candidato à presidência Fernando Haddad foi quase difamado como eu fui. Ninguém foi tão difamado como eu”, afirmou.

“Nós conseguimos que o TRE tirasse de circulação um milhão de publicações falsas. Eu fui caluniado à direita e à esquerda, houve boicote à minha candidatura dentro do próprio campo progressista e a maior fake news que se espalhou em relação a mim é que eu já estava eleito para eu não receber votos”, disse o parlamentar, ressaltando que os próximos quatro anos “serão de resistência ao fascismo, agora mais que nunca”.

 

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!