A Apple concluiu a aquisição do Shazam, aplicativo popular capaz de identificar músicas ambientes. O processo teve início em dezembro de 2017, mas foi suspenso temporariamente após uma investigação da União Europeia, que analisou o acordo com preocupações de que se tratasse de um caso de truste (fusão de várias empresas de modo a formar um monopólio para dominar determinada oferta de produtos ou serviços). O valor da transação foi no total de US$ 400 milhões, segundo o site especializado The Verge.

De início, a empresa anunciou que irá liberar uma versão sem anúncios publicitários para todos os usuários do serviço. Ainda não há muitas informações sobre os planos futuros.

Disponível para Android, iOS e macOS, o Shazam se tornou popular devido à sua capacidade de identificar músicas simplesmente ao “ouvi-las” no ambiente, ou até mesmo através de “lalalas” dos usuários. De acordo com a Apple, o aplicativo acumula mais de 1 bilhão de downloads e tem cerca de 20 milhões de canções pesquisadas diariamente.

Apesar do investimento da Apple no serviço, a mesma função é oferecida por assistentes virtuais. Entre eles, está a própria Siri, da Apple, e a Google Assistente. A Cortana, da Microsoft, teve a função descontinuada em janeiro deste ano.

Via Shazam, Apple e The Verge

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!