Uma professora lésbica da Universidade de Nova York foi suspensa de suas atividades na instituição de ensino após um de seus alunos, um homem gay, processá-la por assédio sexual.

Na denúncia, Niemrod Reitman, afirma que Avita Ronnel manteve contato físico “inadequado” com ele, além de ficar lhe enviando mensagens com conotação sexual. O caso está sendo investigado pelo Escritório de Igualdade de Oportunidades de Nova York.

Os supostos assédios teriam tido início em 2012, mas a denúncia só foi formalmente apresentada em 2017. Em maio último, a professora foi suspensa pela universidade.

Ronnel, por sua vez, nega veementemente as acusações de contato sexual, e afirma que as mensagens trocadas entre ela e o aluno eram “comunicações exageradas” devido a herança étnica de ambos que têm descendência israelense.

Com a suspensão da docente, cerca de outros cinquenta profissionais da instituição de ensino, entre os quais a renomada filósofa do pensamento queer Judith Butler, assinaram uma petição, apontando uma “intenção maliciosa” na denúncia de Reitman, e ressaltando o comportamento e as contribuições da professora afastada, pedindo sua readmissão.

Em um comunicado, o porta-voz da Universidade, John Beckham, disse que tinha grande apreço pela professora, mas não pode tomar partido em relação ao processo.

(Via Observatório G)

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!