Na última sexta-feira (8) a CNN comunicou que Anthony Bourdain, chef, escritor e apresentador do programa ‘Parts Unknown’, morreu, vítima de suicídio. A morte de Bourdain aconteceu poucos dias depois do suicídio da estilista Kate Spade. A morte desses dois talentos reacende uma pauta desoladora: a de que os casos de suicídio são muito mais comuns do que a gente supõe.

E a maior parte da sociedade ainda não está preparada para lidar com o assunto. Como posso ajudar alguém que está passando pelo sofrimento de pensar em se matar? Essa é a grande questão.

Para o psiquiatra Carlos Felipe de Oliveira, que é diretor da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio e atua junto ao CVV (Centro de Valorização da Vida), o primeiro passo é não desqualificar a dor do outro. Ao perceber que alguém próximo a você está apresentando sinais de profunda tristeza e descrença em relação à vida não trate isso como algo sem importância, algo que pode ser revertido simplesmente com força de vontade. “Tem que estar claro para você que aquela pessoa está sofrendo e que ela pode estar passando por um processo de depressão”, aponta o médico.

Isso obviamente também se aplica a outro tipo de situação: quando alguém próximo tentou cometer suicídio. Em casos assim, é muito comum que as pessoas comentem que aquela pessoa não queria realmente se matar, mas apenas chamar a atenção. “De fato, aquela pessoa quer chamar a atenção, mas não no sentido de ‘se mostrar’. Ela quer chamar a atenção para a profunda dor que está sentindo“, diz o psiquiatra. Ou seja: é um pedido de socorro.

Tendo isso em mente, depois de compreender a gravidade da situação, o segundo passo é mostrar-se realmente disposto a ajudar. Mas como fazer isso sem ser invasiva? Para o psiquiatra, uma conversa franca e amorosa ainda é o melhor caminho. “Eu sou solidário com o que você está passando. Não estou sentindo a sua dor, mas quero te ajudar com isso”, sugere Carlos como boa forma de mostrar apoio. E repare nessa parte importante: não tente dizer que você sabe pelo que aquela pessoa está passando, afinal, você realmente não sabe.

Ah, e falar coisas como “tenha força de vontade” e “daqui a pouco isso passa” definitivamente não é a solução. “Isso desqualifica a dor do outro”, frisa Carlos.

O médico também aconselha que você conte a mais alguém sobre o que está acontecendo. Alguém que tenha muita intimidade com a pessoa deprimida e que seja de total confiança, lógico. Mas isso não seria uma maneira de expor um assunto íntimo sem consentimento? Carlos é enfático em dizer que não. Quando um ente querido está lidando com depressão e angústia profunda, pedir o apoio de mais alguém é o mais sensato a se fazer.

As tentativas de suicídio, normalmente, estão relacionadas a algum depressão não tratada, e é frequente acontecerem mais do que uma vez, por isso, é importante que a vítima seja acompanhada por um psicólogo ou psiquiatra, para que recupere a vontade de viver.

Os primeiros socorros no caso de qualquer tentativa de suicídio incluem ligar imediatamente para o 192 e observar se a vítima está respirando e se o coração está batendo.

Caso a pessoa esteja inconsciente e não pareça estar respirando, é importante fazer massagem cardíaca para melhorar as chances de sobrevivência até à chegada da ajuda médica.

No entanto, existem outros cuidados específicos, dependendo do tipo de tentativa de suicídio, como:

Cortar os pulsos

Fazer pressão nos pulsos com roupa, panos limpos ou outro tipo de tecido para parar a hemorragia até chegar a ambulância;

Queda

Não mexer na vítima, pois ela pode ter fraturado a coluna, podendo levar a sequelas, como paralisia, e parar a hemorragia, caso a vítima esteja sangrando, até à chegada da ambulância;

Ingestão de veneno, remédios ou drogas

Se a vítima conseguir engolir, deve dar água com muito sal para provocar o vômito e esperar pelo ajuda médica. Depois, deve-se tentar achar o tipo de substância ingerida, sendo que os remédios para dormir, como Rivotril e Xanax, geralmente são os mais utilizados.

Enforcamento

Se a vítima ainda apresentar movimentos, levantá-la ou colocar uma cadeira, móvel ou objeto alto por baixo dos pés;

Afogamento

Retirar a vítima da água, deitá-la de barriga para cima e iniciar massagem cardíaca e respiração boca-a-boca até à chegada da ajuda médica;

Arma de fogo

Fazer pressão no local do tiro com panos limpos, roupa ou outro tipo de tecido para diminuir a hemorragia até a ambulância chegar.

Como saber que existe risco de suicídio

Antes de uma tentativa de suicídio a pessoa pode deixar algumas pistas do que pretende fazer e, por isso, é importante dar atenção para o que ele diz ou a mensagens que deixa escritas, especialmente se a pessoa estiver sofrendo com depressão.

É importante nunca deixar a pessoa e oferecer o tratamento necessário, além de ficar atento a outros comportamentos suicidas que possa apresentar. Aprenda como identificar estes comportamentos e como lidar.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!