No próximo dia 30, Mart’nália embarca com destino a Moscou. A cantora será uma das atrações musicais da Casa Brasil, na capital do país, conhecido, além de ser a sede da Copa do Mundo 2018, pelas rígidas leis contra homossexuais e militantes da causa. Nada que assuste a brasileira: “O mundo é esquisito… E eu sou black, né? Cada um tem a sua cultura. Vou representando o meu país. A cultura do meu país, o samba e só tô indo lá pra isto. Longe à beça! Cantar, sambar e alegrar quem quiser ficar mais alegre”, diz ela: “E também não vou sair sozinha lá, né?”.

Ao contrário de Fernanda Gentil, também gay assumida, que num papo com Fátima Bernardes falou sobre o comportamento na Rússia e disse “estar bem menininha”, Mart’nália avisa: “Não existe eu bem menininha… Mais fácil virar um problema diplomático e eu voltar amarradona para assistir aqui com os amigos e família num bom churrasco com cerveja gelada”, brinca ela.

A filha de Martinho da Vila nunca esteve na Rússia e não nutre expectativas grandes demais. “Nunca espero nada, espero que gostem. Que nem quando fui cantar na Copa na Alemanha, na China. A música ajuda a unir as pessoas”, avalia.

Torcedora do tipo fanática, Mart’nália diz que curte o clima de Copa do Mundo. “Vejo tudo o que posso. No Brasil, eu me acabo de torcer. O que me emociona é ver o Brasil quando joga bem, as pessoas na mesma vibe”, enumera.

Recém-solteira, ela avisa: “Tô na pista, baby!”, após um período longo de namoro: “Nunca pensei. Tô free, graças à Deus e faz tempo! Adorando”. Adforando também as comparações que fizeram de seu cabelo com o novo penteado de Neymar: “Achei maneiro e engraçado. Que dê muita sorte a ele,com deu pra mim!”

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!