Nesta semana, o pastor Oscar Bougardt, líder da igreja Calvary Hope, na África do Sul, foi sentenciado a 30 dias de prisão e multa de 500 mil rands, cerca de 140 mil reais, devido aos comentários homofóbicos que tem feito durante os cultos evangélicos.

Anteriormente, o líder religioso já havia sido processado e advertido, pelo juiz Lee Bozalek, do Tribunal da Igualdade na Cidade do Cabo, sobre os comentários ofensivos contra a comunidade LGBT. No entanto, algum tempo depois, após o processo ter sido arquivado, ele ignorou o aviso da justiça e destilou homofobia contra os gays em um programa de TV chamado News24.

“Por que devemos ser tolerantes com seu estilo de vida criminoso? Eu estou dizendo isso porque está provado que 99% dos pedófilos têm estilo de vida homossexual”, disse ele. Após as declarações, o juiz reabriu o processo, puniu o líder e afirmou na sentença: “Essas declarações não apenas desumanizam gays e lésbicas, mas também promove ódio contra eles, sugerindo o apedrejamento”, disse.

Vale ressaltar que, a África do Sul, é o único país africano em que o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legal. Além disso, é um dos países em todo mundo onde mais se cultiva o respeito à diversidade.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!