Pra você ver como são as coisas. Na semana passada, a gente mostrou aqui no Superpride o caso de um usuário do Uber que estava denunciando o assédio sexual de um motorista. Na ocasião, o rapaz relatou que o “profissional” estava doido pra receber um sexo oral e que chegou a ficar esperando na porta da casa dele para receber o famoso “quete”. O caso dividiu opiniões e ainda está provocando bastante discussão nas redes sociais.

Agora, parece que o jogo virou. É que começou a circular um print de uma denúncia feita, desta vez, por um motorista, que acusa um passageiro de assédio sexual. As investidas do rapaz também foram na ordem do sexo oral, que, ao que parece, tem se transformado numa das moedas de troca mais competitivas da atualidade.

No texto, o motorista relata ao suporte do aplicativo as sucessivas tentativas do passageiro em dar aquela mamada enquanto ele dirigia. Muito educado, ele teria se esquivado e, mesmo assim, se manteve de cabeça fria até finalizar a corrida. Foi quando ele decidiu tomar providências e exigir que o usuário fosse banido do sistema.

Confira a conversa:

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!