O coletivo Arouchianos, grupo da comunidade LGBT que frequenta o largo do Arouche, no centro de São Paulo, estuda entrar com um mandado de segurança contra a reforma do espaço proposta pelo ex-prefeito João Doria. A intervenção foi aprovada nos órgãos de patrimônio municipal e estadual.

De acordo com a coluna da Monica Bergamo para o jornal Folha de S.Paulo, o Condephaat, órgão estadual de patrimônio, aprovou a reforma do largo do Arouche proposta pelo ex-prefeito João Doria em parceria com o consulado francês e empresas do país. A aprovação no conselho se deu a despeito do parecer contrário da área técnica, que considerou que o projeto descaracteriza o espaço, no centro de SP.

Na época da aprovação, houve ainda queixas de um grupo da comunidade LGBT que frequenta o local, de que não havia sido ouvido. Uma audiência pública chegou a ser concedida, mas foi cancelada após recurso da prefeitura. A intervenção já foi aceita também pelo Conpresp, conselho de patrimônio na esfera municipal.

 

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!