Comprar um produto antienvelhecimento que seja realmente bom para a sua pele pode parecer uma tarefa árdua, difícil e até estressante. “Quando a paciente opta pela compra de um produto inovador, ela tem de ter a orientação de um especialista, de seu dermatologista; porque muitas vezes esse produto não é adequado para o tipo de pele, época do ano, fototipo e condições naturais genéticas daquela pele. E nesse caso, ele pode não só ser ineficaz ao tratamento, como piorar o aspecto da pele”, explica a dermatologista, Claudia Marçal.

“É inadequado que o paciente seja um consumidor de prateleira, porque isso pode trazer desde um quadro de acne cosmético, até produzir alterações como alergia, hipersensibilidades, reações de fotossensibilização – por causa da luz do sol”, acrescenta Claudia.

Essencial para a escolha

Apesar disso, é possível fazer o básico e saber escolher alguns produtos (e substâncias contidas neles) que podem favorecer a sua pele, conferindo mais luminosidade, hidratação, firmeza e ação antioxidante. Veja abaixo as principais:

1) Comece com protetor solar, hidratante e um bom produto de limpeza:

Se você vai começar agora a sua rotina de beleza, três produtos são essenciais para manter sua pele bem cuidada: um bom sabonete de limpeza, um creme ou sérum hidratante e o filtro solar (usados nessa ordem).

A dermatologista explica que o protetor solar e o hidratante são os dois produtos antienvelhecimento mais eficazes que você pode comprar e usá-los diariamente pode fazer uma diferença notável. “Ao comprar um protetor solar, selecione aquele que ofereça amplo espectro, FPS 30 (ou superior), resistência à água e textura adequada ao seu tipo de pele: no caso das mais secas, o protetor pode ser na forma de creme e ter o benefício da hidratação; enquanto as mais oleosas devem investir em gel e loções oil-free com ação de controle da oleosidade”, afirma a médica.

Os produtos multifuncionais podem facilitar, oferecendo hidratação antienvelhecimento e filtro solar, mas verifique se esse produto também oferece PPD, ou seja, a proteção contra os raios UVA.

O sabonete para pele oleosa deve ser preferencialmente líquido e conter com extratos controladores de oleosidade e ativos como ácido salicílico ou glicólico, já as peles mais secas devem investir em loções, sabonetes cremosos, emulsões ou os sabonetes líquidos à base de extratos calmantes e sem agentes agressores.

2) Trate a sua principal alteração de envelhecimento de pele:

Qual a sua principal preocupação? O que mais incomoda você com relação ao envelhecimento da pele? Concentrando-se em uma preocupação, como rugas ou manchas escuras, você obterá os melhores resultados. Procure um produto que atenda a sua preocupação. Há duas razões para isso: nenhum produto pode tratar todos os sinais de envelhecimento da pele; e usar mais de um produto antienvelhecimento em poucos dias ou semanas pode irritar a pele. “Procure sempre a ajuda de um médico dermatologista que, através de uma boa avaliação individual, pode customizar e orientar para que o tratamento seja o melhor possível”, afirma a dermatologista.

3) Invista em produtos adequados ao seu tipo de pele:

Compre um produto formulado para o seu tipo de pele: o protetor solar, o hidratante e outros produtos antienvelhecimento para a pele funcionarão melhor se forem formulados para o seu tipo de pele. Se sua pele tende a ser oleosa, selecione um hidratante específico para sua pele com textura em gel ou sérum; caso ela seja sensível, verifique o termo “pele sensível” no rótulo e procure ativos calmantes e não irritantes.

4) Leia os rótulos dos produtos:

Fique de olho na função dos ingredientes ativos na fórmula do produto. “É preciso prestar atenção aos elementos que são consagrados na dermatologia, como o uso dos derivados de vitamina ácida, alfahidroxiácidos, clareadores, dos hidratantes, do silício, do ácido hialurônico. Além dos peptídeos, dos fatores de crescimento, das substâncias que refazem a barreira hidrolipídica e mantêm integridade da barreira cutânea, dos protetores solares que possuem ação bloqueadora – que hoje concentram ações antioxidantes”, explica a dermatologista.

E tudo isso está no rótulo. Mas além dos ingredientes ativos de um produto, fique de olho no que ele traz de conservante e que pode ser irritante para a sua pele. Portanto, selecione um produto que oferece todos os itens a seguir: hipoalergênico (o produto ainda pode causar uma reação alérgica, mas há menos risco); não comedogênico ou não-acnegênico (não causa acne); sem parabenos (substâncias que causam irritação na pele).

5) Ter expectativas realistas:

Promessas exageradas, como parecer 10 anos mais jovem durante a noite ou reduzir rapidamente todos os sinais de envelhecimento, são boas demais para ser verdade.

Também não vá pelo preço: nem sempre os cremes mais caros são realmente os melhores para a sua necessidade. É importante lembrar que os produtos antienvelhecimento para a pele proporcionam resultados modestos: você não pode obter os resultados de um facelift com uso de um creme. “Além disso, quando falamos sobre investimento em anti-aging, isso tem de partir da mudança da qualidade de vida dessa pessoa, pois nós sabemos que a genética é importante, mas ela não responde pela maior parte, quando falamos em equilíbrio e longevidade e com qualidade de vida. Então, os tripés de sustentação como alimentação, atividade física, proteção à ação danosa da radiação da ultravioleta, ou fato, de dormir maneira adequada e ter uma vida com menos estresse, enfim, tudo isso é um fator de ajuda que contribui para a efetividade do tratamento”, explica a médica.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!