Em meio a unicórnios e os flamingos infláveis para criar o ambiente lúdico foi apresentado o Festival Milkshake, uma espécie de Lollapalooza voltado ao público LGBT.

E vai ser nesse clima, que estarão num dos quatro palcos da Arena Anhembi, em São Paulo, onde acontecerá o evento, dia 2 de junho, na véspera da Parada Gay paulista.

Para apresentar o festival e dar alguns detalhes do festival, foram escolhidas, Pabllo Vittar, Preta Gil, Wanessa, Gretchen, Glória Groove, Simony e Lia Clark.

Na versão brasileira do festival que acontece em Amsterdã desde 2012, a ideia é dar ainda mais visibilidade ao movimento LGBT a partir de variados estilos musicais que cada uma delas representa.

“Viemos todas discretas hoje, para Pabllo poder brilhar! Cadê seu glitter, amiga?”, brincou Preta Gil apontando para si mesma, Simony e Wanessa, que vestiam trajes de tons escuros, e Gretchen, que vestia vermelho e xadrez.

Pabllo, por sua vez, ostentava uma camisa branca e uma bota de cano altíssimo (chegava na altura da virilha) de fundo rosa e estampada com o desenho do rosto de uma mulher loira de olhos verdes.

Gretchen e Simony levarão um pop dos anos 1980; Glória, Lia e Pabllo cantam um revisitado poperô dançante com batidas eletrônicas; Preta faz covers de clássicos da MPB e Wanessa faz a linha do pop mais clássico.

Contando com as artistas presentes na coletiva de imprensa, a organização anunciou que o festival receberá mais de 40 atrações, com a presença de nomes internacionais (ainda não divulgados).

“O FESTIVAL CELEBRA O DIFERENTE”

Cerca de 200 mil m² da Arena Anhembi serão ocupados pelos quatro palcos que receberão 16 horas de programação. O Brasil será o primeiro país a receber o evento fora da Europa — mais uma prova de um paradoxo tupiniquim. Ao mesmo tempo em que sedia eventos LGBTQ de grande porte, é o país que mais mata homossexuais, trans e travestis no mundo. Segundo as estatísticas, é registrada uma morte a cada 25 horas.

“É nesses festivais e nesses eventos que podemos mostrar para as pessoas que não têm conhecimento sobre o nosso trabalho o quanto é lindo, o quanto a mensagem é válida e o quanto podemos trazer para o público”, diz Pabllo, que se apresentou na edição do ano passado.

“Isso mostra o quão importante o nosso trabalho é. Vemos o apoio que temos de um grande público. Somos chamados pela mídia de minoria, mas não somos. Temos que ir atrás de nosso respeito e espaço!”, afirma Lia Clark.

Fora do Brasil, o Milkshake levanta a bandeira LGBTQ. Aqui, as artistas fizeram questão de reforçar que a questão da diversidade vai além disso. Preta Gil aproveitou para falar sobre aceitação do próprio corpo.

“O festival celebra o diferente. A diversidade não é somente gênero e opção sexual. Estamos falando de as pessoas serem como elas são: se vestir do jeito que quiserem, pintarem o cabelo do jeito que quiserem e se amarem do jeito que são — diz — Mundialmente, o evento segue a linha LGBTQ, que é muito importante. E como esse seguimento já abraça as pessoas que se sentem excluídas e diminuídas, vejo o movimento do coletivo”, conclui.

O evento será palco de duas novidades do mundo da música: a volta da sensação do Balão Mágico (o grupo subirá aos palcos com Simony, Mike e Tob, integrantes da primeira formação) e o retorno de Wanessa para o gênero pop.

“É difícil definir um estilo para o público LGBT, que é muito cabeça aberta. Mas eles consomem músicas que tenham atitude. Gostam de romance, uma pitada para dançar e causar e do visual”, afirma a cantora, cujo último trabalho foi uma volta às raízes sertanejas de sua família.

Com informações do site O Globo.

FESTIVAL MILKSHAKE

QUANDO: 2/6/2018.

QUANTO: 1º Lote (até 19/4) – Inteira: R$ 360/ Meia: R$ 180. Depois, os valores serão reajustados (ainda não definidos).

ONDE: Anhembi. Av. Olavo Fontoura, 1209, São Paulo. Compras e informações pelo site do evento: www.milkshakefestival.com.br

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!