Não, você não leu errado. Existe uma condição rara que faz com que alguns homens que desenvolvem dois pênis. DOIS!!!

Segundo o Dr. Juliano Plastina, a duplicidade peniana ou difalia aparece em um a cada 5 milhões de homens.

Na maioria das vezes é uma duplicidade incompleta, os dois pênis são grudados na base e apresentam duas glandes, porém, também pode acontecer uma duplicidade completa e o homem ter dois pênis propriamente ditos.

A difalia acontece por uma alteração na formação do pênis durante a gestação, gerando uma divisão no órgão antecessor, o que inicia a formação dos dois órgãos.

Na maioria das vezes, a difalia também está associada a outras más formações, como por exemplo, o homem pode ter duas bexigas. Essas más formações podem exigir também que o bebê tenha que sofrer cirurgias para evitar ainda mais problemas.

Vida sexual

O médico ainda fala sobre um adulto, um caso raríssimo, no qual ele tem dois pênis completos funcionais, inclusive, com vida sexual ativa!

O homem adulto com dois pênis funcionais, citado pelo Dr. Juliano, é americano, e se identifica como DoubleDickDude.

De acordo com DoubleDickDude, é possível urinar ao mesmo tempo com o dois pênis. E além disso, gozar também.

Segundo DoubleDickDude diz que a namorada e o namorado (sim, ele se diz bissexual e parte de um relacionamento poliamoroso) aguentam os dois ao mesmo tempo, mas que com parceiros e parceiras mais apertados, não é tão fácil.

De acordo com o homem do pênis duplo, a reação das pessoas ao verem os órgãos varia bastante. “Varia de garota pra garota. Algumas ficam “WOW”. Algumas são mais “ISSO É FAKE”. Outras surtaram, me xingaram. Muitas são bem curiosas, mas eu não faço mais sexo casual, parei alguns anos atrás. Eu não gostava do vazio interior depois de um lance de uma noite só. Fiz muito disso quando era mais novo. MUITO. Mas na maioria, as garotas ficavam nervosas e algumas mudavam de ideia no último minuto. Os caras NUNCA mudavam de ideia, eles sempre queriam, mesmo se surtavam um pouco. lol”, conta.

 

Caso queira saber mais sobre o assunto, assista o vídeo do Dr. Juliano.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!