As bancadas católica e evangélica do Congresso terá, nas próximas eleições, um apoio de peso, o empresário Flávio Rocha, dono da Riachuelo. O empresário entrará na luta contra pautas progressistas nas próximas eleições.

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, Rocha acredita que o Brasil precisa de um candidato que alinhe ideias conservadoras para a economia e a sociedade.

O empresário, que foi um dos apoiadores do impeachment de Dilma Rousseff, é ligado à igreja Sara Nossa Terra e defende as bandeiras das igrejas, dentre elas estão o combate ao casamento gay, aborto e o que chamam de “ideologia de gênero”.

Em entrevista à Folha de São Paulo, Flávio deixou claro que suas ideias se disseminaram a partir do lançamento do movimento empresarial Brasil 200, batizado em alusão aos 200 da Independência do país, que será em 2022 (ano em que se encerra o mandato do presidente eleito neste ano).

O empresário diz ainda acreditar que o povo brasileiro seja extremamente conservador, em grande maioria contra o desarmamento, a favor da redução da maioridade penal e contra a discussão sobre gênero. Essa é a pauta do povo brasileiro, “mas falar disso se tornou politicamente incorreto”, afirmou.

Boicote

Nas redes sociais, diversas pessoas se manifestaram pedindo boicote a marca. Na página do facebook, dezenas de comentários foram feitos. Contudo, somente alguns foram respondidos.

Vale lembrar que no ano passado, a Riachuelo divulgou uma campanha para o Dia dos Namorados na qual apresentava diversos homens e mulheres que formavam casais. Contudo, o que chamou a atenção do público, principalmente dos LGBTs foi a ausência de casais formados tanto por duas mulheres quanto por dois homens.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!