Se você já teve um relacionamento, por mais curto que tenha sido, sabe muito bem que quando as coisas não vão bem os sinais são inevitáveis.  “A pessoa transmite suas intenções sem perceber na postura corporal, na expressão facial, em determinadas mudanças de atitude”, afirma a psicoterapeuta Carmen Cerqueira Cesar.

Porém, de acordo com a coach de relacionamento, Miria Kutcher, deve-se ter cuidado para não se precipitar depois de ter a impressão de que o relacionamento esfriou. “Muitas vezes, nossa interpretação vai de acordo com a fase que estamos vivendo”.

A um passo do fim

Segundo Miria, em entrevista ao Uol, alguns sinais merecem atenção, mesmo que seja só para ter uma conversa e melhorar a relação. Veja quais são:

1. Desinteresse pela sua rotina

A pessoa simplesmente para de perguntar como foi o seu dia, se está bem, se aquela reunião deu certo, se gostou do livro que acabou de ler, coisas assim. É um dos principais (e mais doídos) sintomas do distanciamento emocional do outro.

2. Silêncio

A pessoa fica mais calada e introspectiva, um indício forte de que pode estar ruminando pensamentos sobre o que vai fazer da vida –no caso, quando e se quer se separar.

3. Conversas não engatam

Você tenta puxar conversa, mas a pessoa é monossilábica ou encerra logo o papo. Os assuntos entre vocês parecem definhar.

4. Olho no olho é coisa rara

“Quando estamos num relacionamento com alguém temos muita necessidade de olhar no olho da pessoa e ‘viajar’ nesse olhar. Quando esse olho no olho começa a ficar mais curto ou passa a não existir, significa que cada um está indo por um caminho diferente”, diz Miria.

5. Críticas começam a pipocar

Tudo o que você faz parece chatear o outro ser humano, que passa a se mostrar mais implicante. Em todo relacionamento “normal” sempre acontece de um dar bronquinhas no outro e vice-versa, mas, nesse caso, a irritação é mais evidente.

6. Falar no futuro vira um tabu

Segundo Carmen, as conversas sobre projetos de viagens, de trocar de carro, mudar de casa ou até mesmo sobre planos mais simples e imediatistas, como onde vão jantar no fim de semana, começam a escassear.

7. As brigas param

Parece contraditório, mas, de acordo com a psicóloga Marina Simas, quando as pessoas querem terminar, preferem não criar caso nem discutir. “Elas ficam indiferentes porque acham que não vale a pena gastar energia para fazer um acordo em uma relação que não vai durar muito”, explica ela.

8. Ficar a sós é difícil

Tudo leva a crer que o par está mais interessado nos próprios hobbies e em compartilhar a vida com os amigos. Pode ser uma espécie de fuga da realidade: manter-se ocupado é uma forma de não encarar a incômoda verdade de que não quer mais ficar ao seu lado.

9. Falta de paciência para ir a eventos sociais e familiares juntos

“Quando a pessoa não deseja mais estar na relação, não tem mais paciência e nem deseja sentir que pertence àquele grupo de pessoas, principalmente quando o evento é na família do outro. É comum inventar mil desculpas para não comparecer”, fala Marina.

10. Sexo morno, beijos na boca cada vez mais raros

Podem ser sinais óbvios, mas na correria do dia a dia nem sempre há tempo, energia ou atenção para perceber que o sexo ficou burocrático, sem grandes emoções. E o beijo na boca vai ficando raro e sem muita emoção. “Quando a pessoa opta pelo término, na maioria das vezes interrompe de alguma forma a entrega total que tinha antes e vai se posicionando de forma mais distante, sem paciência e com limites mais rígidos, fugindo do que resulta em intimidade”, explica Marina.

 

 

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!