Quem assistiu o capítulo de quinta-feira (5) da novela global “O Outro Lado do Paraíso”, se emocionou ao ver parte do diálogo entre Adnéia (Ana Lucia Torre) e seu filho Samuel (Eriberto Leão).

Como se sabe, Samuel é um médico renomado de Palmas (TO), mas que vive uma vida dupla. O rapaz divide sua atenção entre a esposa e seu paquera. Gay enrustido, Samuel já protagonizou várias cenas de homofobia durante a novela.

Porém, após ser flagrado de calcinha por sua mãe, Samuel tentou argumentar para enganar novamente a mãe, que sempre se mostrou muito machista. Para a surpresa do espectador, o diálogo entre os dois foi cheio de compreensão.

“Não tenho mais nada a dizer. Estou morto de vergonha. Queria que o chão se abrisse, Queria sumir”, assumiu ele. Nesse momento, Adnéia o surpreendeu: “Sempre soube”.

“Sempre soube não querendo saber. Cê nunca foi como teus irmãos. Desde garotos eles levavam as namoradinhas pra dentro de casa. Mas cê nunca aparecia com namorada. Uma vez ouvi um comentário da vizinha, falou alguma coisa de você. Cortei a amizade com ela. Respondi: meu filho é macho”, revelou a mãe.

“Depois, cê cresceu, eu estranhava não aparecer com namorada. Teve uma… Até me animei, mas foi um namorinho de alguns meses. No meu coração, eu já sabia. Mas não queria aceitar. Queria que fosse um homem como os outros, que tivesse uma família. Me desse netos. De todos é o filho com quem mais me apeguei. O que cuida de mim. O que eu mais amo”, ela desabafou.

Adnéia mandará que Samuel tire o batom e continuará seu discurso. “Por isso insistia que cê trouxesse uma namorada, casasse. Boba, boba, eu sou tão boba. Imaginava que se casasse, mudaria. Mas não mudou. Manteve aquele apartamento escondido. As calcinhas. Agora sei por que a Suzy reclamava que as calcinhas desapareciam”, falou.

Mas o momento mais emocionante da conversa entre os dois foi quando Adnéia admitiu ter culpa na decisão do filho de esconder sua sexualidade.

“Mãe, me perdoa, me perdoa”, pedirá Samuel. “Perdoar? Cê consegue ser de outro jeito?”, perguntou ela. Samuel ainda contou que tentou mudar.

Então, Adnéia disse: “Não conseguiu. Portanto, eu vou perdoar o que, se é como é? Talvez cê tenha que me perdoar. Por não ter te entendido. Não é o dever de uma mãe compreender, amar o filho? Samuel, eu deixei você casar com aquela enfermeira ridícula.Praticamente te obriguei. Cê continua sendo meu filho. Meu filho”, dirá Adnéia. Os dois se abraçaram, muito emocionados.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!