Ethan Dvash-Banks tem apenas 1 ano, mas já está na Justiça contra o governo dos Estados Unidos. Isso, porque o pequeno compartilha de tudo com o irmão gêmeo, Aiden — o quarto, os brinquedos, a barriga de aluguel aluguel e os pais, exceto a cidadania americana.

O casal gay Elad e Andrew Dvash-Banks entraram com um processo contra o Departamento de Estado do país pelo que consideraram uma “injustiça” e para reclamar os mesmos direitos de cidadão para os dois filhos.

O isralense Elad forneceu os espermatozóides para o nascimento de Ethan. O americano Andrew, para o de Aiden. Os dois meninos foram gerados a partir de doação de óvulos e dividiram o mesmo ventre de aluguel. Mas apenas o fruto biológico do americano recebeu a cidadania do país.

“Nós estamos tentando conseguir justiça para Ethan e corrigir o erro em que o Departamento de Estado insiste e pode afetar outros casais”, argumentou Elad.

Processo

O processo é um dos encampados por um grupo de direitos de imigrantes gays, segundo o qual o governo dos Estados Unidos tem discriminado casais homossexuais binacionais e negado a cidadania aos filhos deles. A Immigration Equality destacou que os herdeiros de um cidadão americano que se casa fora do país têm direito aos papéis logo ao nascer, independentemente de onde nasceram ou de o parceiro ser estrangeiro.

Embora não comente processos em curso, o Departamento de Estado salienta em seu site que deve haver elo biológico com um cidadão americano para um recém-nascido receber a cidadania do país. Como Ethan nasceu da barriga de aluguel e do israelense, ele não teria direito, segundo este entendimento, apesar de Andrew também ser seu pai.

As informações são do jornal Extra.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!