Entre os dias 4 e 12 de agosto de 2018, Paris vai sediar os X Gay Games. O megaevento vai reunir delegações de 70 países, incluindo o Brasil.

Aberto não só a membros de grupos LGBT, organização espera 15 mil atletas em 500 provas de 36 esportes, olímpicos ou não.

Uma das diretrizes do evento é combater o preconceito que existe no esporte, especialmente, as manifestações de preconceito nas arenas esportivas.

No caso brasileiro, o Comitê Desportivo LGBT tem planos ambiciosos. Sem verbas públicas, pretende mais do que dobrar a média de 30 atletas que tomaram parte em edições anteriores. Para este ano, o objetivo é levar uma centena de desportistas brasileiros, o que pode ser alcançado graças ao crescente interesse pelo futebol. Em novembro, foi organizada pela primeira vez, no Rio, a Champions Ligay, o Brasileiro Gay de Futebol de Sete.

A partir dessa competição, é possível que sejam formadas três equipes para representar o país no megaevento, o que é permitido pelas regras dos Jogos. O primeiro time assumidamente gay do país se chama BeesCats, do Rio, fundado pelo roteirista carioca André Machado. “O BeesCats surgiu em maio. Eu sempre jogava peladas com meus amigos heterossexuais em São Paulo, onde passei minha infância. Quando me mudei para o Rio, encontrei vários gays que gostavam de jogar futebol, mas tinham traumas por causa de discriminações. Então, em maio, reunimos 15, depois 30 pessoas, e em um mês já éramos 100 pessoas alugando duas quadras do clube Guanabara, em Botafogo”, cota Machado ao Globo Esporte.

Delegação

A delegação verde e amarela, poderá fazer parte pelo menos uma atleta que já subiu ao Olimpo: Juliana, do vôlei de praia, bronze olímpico em Londres-2012 e recordista de títulos mundiais, com oito. Ao seu lado, poderá estar alguém que já vem acostumada a atacar sobre a rede do preconceito: Carol Lissarassa, a primeira transexual a já ter disputado um torneio de vôlei de praia no Brasil, a Copa Juliana, em Porto Alegre, em novembro.

A abertura dos jogos será a 4 de agosto, no Stade Jean Bouin, e o encerramento, no dia 11, diante do Hôtel de Ville, a prefeitura da capital francesa, futura sede das Olimpíadas de Verão, em 2024.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!