Muito se fala nele, mas pouco é detalhado. A síndrome do pânico é presente e cada vez mais “normal”, se é que podemos dizer assim. A sensação de medo extremo, que acomete as pessoas de uma hora para outra, sempre vem de surpresa.

Portanto, entender quais são os sinais que podem alertar para uma possível crise – e não te deixar confundir com um ataque cardíaco, por exemplo – é primordial tanto para se ajudar, quanto para ajudar ao próximo. Veja quais deles justificam a situação:

1 – Tontura: ao afetar o funcionamento do sistema nervoso autônomo, que regula as funções vitais, os ataques fazem com que percamos o controle consciente das coisas. E com o aumento da frequência cardíaca ou queda de pressão, a tontura vem certa.

2 – Transpiração e calafrios: muito semelhante aos primeiros sintomas daquela gripe braba e chata. A diferença é que nesse caso, e mais uma vez, a crise de pânico ao afetar o sistema nervoso autônomo faz com que a pessoa comece a transpirar, sentir calafrios e suar frio.

3 – Dificuldade para respirar: sistema nervoso não é brincadeira e aqui, mais um caso do que ele pode nos causar quando desestabilizado. Nesses ataques, há a falta de ar e a hiperventilação, e também, desencadeia um quadro chamado dispneia, que causa a sensação de não conseguir encher os pulmões de ar.

4 – Náuseas e desconfortos gastrointestinal: o desarranjo é certo. Nessas situações, a liberação de hormônios relacionados ao estresse provoca a tensão visceral, que consequentemente, acaba afetando a nossa digestão. Aquela famosa dor de barriga de nervoso, sabe?

5 – Formigamento: principal causa que faz com que as pessoas confundam essas crises com um princípio de infarto. Muitas pessoas atestam o formigamento e a dormência de partes do corpo, como as pontas dos dedos ou o rosto, por exemplo.

6 – Despersonalização: faz com que a pessoa se sinta como se o mundo fosse irreal. É meio louco, mas causa a sensação de que o indivíduo rompeu com a realidade e não seja mais quem realmente é.

Ataques como esses não é brincadeira, e sempre que um mal-estar desse acontece, é necessário o auxílio médico para o diagnóstico e prevenção.

[manual_related_posts]

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!