Joesley Batista, que está no epicentro do escândalo envolvendo a JBS, teve um áudio vazado nesta semana pela procuradoria- geral da República, digamos, bastante curioso. Para não dizer bizarro.

Em uma conversa com Ricardo Saud, diretor do grupo, o proprietário da empresa envolvida em um dos maiores crimes de corrupção do Brasil, faz uma menção de que o advogado do grupo, Francisco Silva, deveria transar com uma das mulheres envolvidas no acordo de delação.

“Eu já falei para o Francisco, você tem até domingo que vem para comer. Se não, eu vou comer. Francisco, é trabalho, viu! Vou te dar até domingo que vem. Se não, eu vou fazer o serviço. Não é fetiche, não, velho, Um de nós tem que botar ela na cama”, disse.

A mulher citada no diálogo entre os dois seria uma suposta servidora do Ministério Público Federal (MPF). Já em outro momento do áudio, Joesley afirma que contratou um rapaz homossexual para prestar serviços sexuais há quem for necessário. “Eu já arrumei um ‘viado’ pra dar para quem a gente precisar. Sério, já tenho contratado um”, afirmou.

Ouça!

 

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!