Um motorista do Uber foi agredido por três travestis na última terça-feira (15), em um condomínio residencial, no Bairro Nova Várzea Grande, em Cuiabá. O caso está sendo investigado pela polícia, que busca identificar as autoras da agressão.

O motorista Fábio Eduardo Figueiredo contou que foi agredido depois de ter pedido que uma delas sentasse no banco da frente, antes do início do percurso. “Pedi para uma ir na frente porque, como elas eram grandes, iriam mais confortáveis, mas elas pensaram que eu estava sendo homofóbico e ficaram descontroladas”, afirmou.

Ele disse que está com dores pelo corpo e vai procurar atendimento médico. “Fui agredido por cerca de 10 minutos e meu carro está com muitos danos. Sou pai de família e preciso trabalhar. Já trabalho há três meses como motorista da Uber e até agora não tinha tido nenhum problema desse tipo”, contou.

Fábio afirmou que sentiu medo da reação das passageiras e desceu do carro para pedir ajuda no condomínio. Elas também desceram e começaram a agredi-lo. “Levei socos no estômago, na cabeça. Não sabia se me defendia porque elas ameaçavam quebrar o meu carro. Mas depois comecei a me defendeu e elas quebram o meu carro.

Os seguranças do residencial chegaram no momento em que elas estavam quebrando o carro. A Polícia Militar foi chamada, mas disseram que não poderiam conduzi-las à delegacia, já que o caso deveria ser resolvido com a Justiça.

Como a chamada para a corrida é feita pelo celular e existe um pré-cadastro, os dados serão usados para a identificação dos suspeitos. Um vídeo feito por um morador do condomínio mostra a confusão. Nas imagens dá para ver as suspeitas danificando o veículo com uma barra de ferro, depois da agressão.

Veja os vídeos!

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!