Tem coisa mais gostosa do que dormir de conchinha com a pessoa amada? É uma sensação única, capaz de aquecer o coração e reconfortar a alma. Mas, além disso, ficar agarradinho dessa forma também traz benefícios para a sua saúde. Segundo os pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, dormir ao lado do parceiro diminui o nível de cortisol no sangue, o hormônio do estresse.

A explicação para esse acontecimento está na forma com o que as pessoas sentem ao dormirem abraçadas: protegidas e seguras. Desta forma, o corpo fica mais relaxado e não sente necessidade de estar “alerta”, tornando desnecessária a produção de cortisol. Além disso, eles acreditam que casais que dormem abraçados tendem a ser pessoas mais calmas, descontraídas e honestas.

“Diversos estudos mostram que pessoas casadas – casamentos felizes, em particular – vivem mais, além de serem mais felizes e saudáveis do que aqueles que não são casadas ou estão em um casamento infeliz”, disse a Wendy Troxel, professora de psiquiatria e psicologia na universidade.

Além disso, os pesquisadores indicaram que dormir de conchinha também estimula a produção de ocitocina. Conhecido como o “hormônio do amor”, ocitocina age como um neurotransmissor, assim a substância é liberada quando existe o contato de pele entre as pessoas, e também quando existe a formação de uma relação de confiança entre elas. Dessa forma, ela é conhecida pela sua função de união entre as pessoas e desenvolvimento de ligações de carinho.

Recentemente, diversos estudos têm relacionado a ocitocina como uma forma de ajudar no tratamento de esquizofrenia, autismo, depressão pós parto e até para ajudar na perda de peso. Além disso, quanto mais alto os níveis de ocitocina no sangue, maior é a sensação de bem estar e felicidade. Por isso, uma boa forma de auxiliar seu organismo a produzir ocitocina é estar perto de pessoas de quem você gosta e compartilhar momentos agradáveis com elas.

Veja também:

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!