Se abrindo sobre sua criação cristã ortodoxa, a cantora Katy Perry afirmou que só conseguiu se livrar de muito racismo e homofobia, depois que cresceu. Ela disse que crescer na casa de seus pais pastores era como viver em uma igreja, e que ela era proibida de ir a shows de artistas como Marilyn Manson e Madonna.

“Minha casa era como uma igreja. Era tudo que fazíamos, sequer celebrávamos Halloween. Meus pais me proibiam de interagir com pessoas gays e também havia racismo.”, assumiu ela.

Falando sobre como criou a música “I Kissed a Girl”, ela disse que foi uma batalha entre a fé e sua sexualidade: “Como eu ia encarar minhas amigas do gospel, nos grupos que a gente frequentava e que apoiavam campos de conversão de gays? Tudo que eu sabia é que era curiosa, e fui vendo que a sexualidade não é branco e preto, mas tem muitos tons.”.

Katy também disse que a sua música que a obrigou a conhecer pessoas de diferentes cores e sexualidade: “Foi um presente pra mim! Fui apresentada a pessoas fora da minha bolha e ela explodiu. Ao contrário do que fui ensinada, essas pessoas não tinham nada de errado e nem a ser temido. Eram as pessoas mais livres, gentis, inclusivas e fortes que eu já havia conhecido.”

Falando sobre sua mudança de pensamento mesmo sendo criada em um lar cristão extremista, ela concluiu: “Você não pode escolher a sua família, mas pode escolher a sua tribo. Sou prova viva de que, não importa de onde você veio, você pode evoluir e melhorar desde que abra seu coração e sua mente.”

Gostou? Veja também:

 

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!