Bizarro

Empresas brasileiras evitam contratar gente muito bonita, diz pesquisa

Você acha que ter uma beleza acima da média é uma coisa boa ou ruim? Para os recrutadores das empresas no Brasil, isso é péssimo.

Segundo um levantamento feito pela Elancers, que entrevistou 2.075 recrutadores em todo o país, 46% prefere contratar pessoas com “beleza mediana” para as suas vagas. De acordo com Cezar Tegon, presidente da Elancers, apenas 2% dos pesquisados disseram que buscam no mercado pessoas muito bonitas.

“Em nossa pesquisa, constatamos que há pelo menos 1% de empresas que contratam, deliberadamente, profissionais considerados ‘feios’ ou ‘feias’. No entanto, é evidente que a grande maioria das empresas evita pessoas muito bonitas, talvez com exceção daquelas empresas que alocam o profissional no atendimento ao público ou em áreas de vendas”,  explicou Tegon. Para ele, uma das razões para a baixa contratação de pessoas bonitas pode ter a ver com o perfil dos recrutadores.

Um estudo dos economistas israelenses Bradley J. Ruffle e Ze’ev Shtudiner, apresentado em 2010 na Universidade de Londres, mostrou que as mulheres bonitas têm suas chances de contratação reduzidas em até 30% em comparação às não tão atraentes pelo fato de que a seleção geralmente é feita por mulheres (96%), solteiras (67%) e com idade média de 29 anos:

“Outro aspecto relevante diz respeito à contratação de pessoas que vão trabalhar, por exemplo, com diretores da empresa que são casados. Os próprios executivos descartam profissionais mulheres muito bonitas, pois temem que essas contratações possam trazer problemas ao casamento, o que já vimos acontecer algumas vezes”, acrescenta.

Veja também:

Comentários

Sobre o autor

Nelson Sheep

Nelson Sheep

Editor-chefe no Superpride, youtuber, editor, produtor e diretor do canal Põe na Roda. Formado em Rádio e TV pela Universidade Anhembi Morumbi, trabalhou com jornalismo econômico por 6 anos e fugiu para o mundo dos blogs para estimular o pensamento dos outros. É um ouvinte de primeira.