Turismo

Adiós Buenos Aires! Rosário e Bariloche são cidades gay friendly encantadoras na Argentina

Nossa vizinha Argentina é capaz de nos surpreender sempre. Quando o assunto é turismo e, principalmente, respeito à diversidade, os hermanos dão um show. No final do ano passado, o SuperPride foi convidado a conhecer dois destinos locais, que ainda são pouco explorados pelos turistas LGBT brasileiros. Nossa primeira parada foi na simpática Rosário, onde passei 3 dias, e Bariloche, onde pude me deslumbrar com a natureza e estrutura turística da região.

Recentemente os dois destinos se uniram para se promoverem como sendo cidades gay friendly, e não tiraram isso do além. Crimes ou qualquer outro tipo de agressão de cunho homofóbico são raríssimos por lá.

Rosário

A cidade de Rosário é capital da província de Santa Fé e tem aproximadamente 1 milhão de habitantes. Apesar de, para nós brasileiros, parecer uma cidade pequena, Rosário respira ares de metrópole, muito bem equipada e turisticamente farta de atividades.Por muitos anos, a cidade que margeia o Rio Paraná, viveu brigada com essa virtude natural. De costas para seu maior tesouro, Rosário cresceu e enriqueceu por conta do porto fluvial que possuía praticamente dentro da área urbana.

De uns dez anos para cá, Rosário fez as pazes com rio Rio Paraná e fez dele uma das maiores atrações da cidade. Com a orla revitalizada e hipervalorizada, prédios residenciais e hotéis chegaram, e com eles também os turistas.

É no calçadão à beira rio que está também um monumento dedicado aos LGBT. Uma pirâmide coberta de espelhos, circundada com as cores do arco-íris homenageia o segmento. Os gays de Rosário se orgulham deste ser o único monumento da cidade que segue intacto, sem sofrer qualquer vandalismo. Se quiser se casar por lá, a Pampas Income organiza tudo.

Além do monumento, recentemente a cidade recebeu um centro de apoio ao movimento LGBT. No espaço, palestras e ações são planejadas para capacitar e sensibilizar órgãos públicos e privados para nos receberem bem. Mas uma das medidas em pró a comunidade gay que mais orgulha os rosarinos é a aprovação do casamento igualitário internacional, ou seja, desde 2010 qualquer cidadão do mundo sendo gay ou não pode se casar em Rosário.

Outro destaque turístico que fica no calçadão à beira rio é o Parque Nacional das Bandeiras. Um belo monumento que resgata a história da Argentina para lembrar que foi ali que, pela primeira vez, se estendeu a bandeira daquele país em 1812, após a independência da Espanha. Uma subida na torre central proporciona uma bela vista panorâmica da cidade.

Rosário é também famosa pelo sorvete, sendo considerada a capital do sorvete artesanal da Argentina. A delícia gelada está por toda parte, mas é na sorveteria Rio, fundada em 1966, que o deleite é completo. São dezenas de sabores para você se refrescar do calorão que faz por lá. A sorveteria é praticamente um patrimônio local.

Depois e ganhar muitas calorias, a dica é dar um pulo na região norte da cidade. Seguindo pela orla, e sentindo a brisa beira rio. É nessa área que fica a “La Playa Florida”. Uma espécie de balneário privado que se paga algo em torno de R$1 para entrar. Tudo muito bem cuidado e com areia branquinha, é na prainha que tudo acontece.

Gente bonita a procura de um corpo bronzeado divide a praia com turistas e locais. Se quiser ir além, dá até para arriscar um vôlei de praia, futevôlei para queimar as calorias do sorvete.

Bom, e como eu faço a linha gay macia e radical, não perdi a chance de fazer um passeio de lancha pelo Rio Paraná. Em alta velocidade, como o piloto fez questão de mostrar, passamos enlouquecidos pela ponte Nossa Senhora do Rosário. Com 600 metros de comprimento no seu vão principal, e 3 km em seu total a ponte é um dos cartões postais da cidade.

Cheia de belos parques, Rosário é também conhecida por ser a cidade com a maior área verde por habitantes da America Latina. O mais bonito deles é o Parque da Independência. Em estilo francês, o local foi inaugurado em 1902 e segue encantando os turistas até hoje.

A presença de jovens também é algo que chama atenção. Rosário tem muitas universidades, e isso dá a ela toda agitação que uma cidade universitária possui. Em uma rápida batida de perna é possível encontrar estudantes de vários países da America Latina, inclusive do Brasil, aliás, muitos do Brasil. E aí já sabe né? Onde tem estudante tem noitada.

A noite de Rosário é conhecida na Argentina. Os belos bulevares espalhados na região central concentram bares e restaurantes que vivem cheio de gente bonita em busca de paquera. Um dos mais procurados é o BeatMemo, uma mistura de bar, restaurante e museu que concentra um acervo impressionante da banda inglesa The Beatles. Bem bacana para um inicio de noite.

Falando nisso, os rosarinos costumam sair bem tarde, e se sua meta é pegar uma balada nervosa, se prepare para esperar até pelo menos 1 da manhã. Mas é só lá pelas 3 horas que a noite realmente acontece. Não existe muita vida noturna gay em Rosário, uma das poucas opções é a La Casa de Cristal, a balada é bem bacana e concentra um público bem misturado e gays mais adultos. Outra dica imprescindível: tenha sempre muito dinheiro. Poucas baladas aceitam cartão. Eu sei, isso é desesperador pra nós brasileiros!

Quando for fazer sua reserva, a dica é o Puerto Norte Design Hotel. Novinho em folha, o hotel foi construído sobre um antigo armazém de grãos dentro de um complexo também recém-inaugurado que concentra lojas, restaurantes, escritórios e novos prédios residenciais na região do antigo porto que está todo revitalizado.

O serviço é impecável e no térreo um bar um restaurante super descolado são os novos points da região. A piscina aquecida no rooftop é espetacular, com água quentinha para relaxar gostoso enquanto a noite chega. Como eu sou muito fina, não perdi a oportunidade de curtir o SPA e fazer uma bela massagem depois de dias de muita “bateção” de perna.

Bariloche

Vamos agora rumo a Bariloche. Destino certo para muitos brasileiros, principalmente no inverno, mas o que pouca gente sabe é que há também muita coisa bacana para se fazer lá no verão. A região montanhosa, aos pés da cordilheira dos Andes, faz divisa com o Chile. Só isso já garante paisagens de tirar o fôlego. O lugar é perfeito para se curtir uma viagem a dois. E gays são mais que bem-vindos. Há alguns anos, Bariloche já faz campanha para atrair o turista LGBT argentino e a ideia agora é atrair os brasileiros.

A pequena cidade, com pouco mais de 150 mil habitantes, esbanja charme. Super bem equipada de hotéis e restaurantes, as ruas ficam tomadas de turistas – a maioria deles jovem em busca de diversão e esportes de aventura. Tem gente de toda parte do mundo. Americanos, europeus, australianos, talvez por isso a cidade, mesmo que pequena, seja totalmente gay friendly e aberta à diversidade.

Começamos nossa visita nos instalando no aconchegante hotel Alma Del Lago. Quartos espaçosos e todos com vista para o lago Neuquén. O staff super friendly já nos recebe com aquele sorriso de quem tá com o gaydar afiado. O hotel ainda tem uma piscina coberta incrível também com vista para o lago. Assistir o entardecer dali é uma das experiências mais deliciosas de que se pode ter.

Como dito acima, Bariloche é um daqueles destinos que tem atração o ano todo. Uma das atividades que mais recomendo é visitar a Estancia Puena Hue. O local é maravilhoso, perfeito para passar uma manhã contemplando a natureza e fazendo uma boa cavalgada. Foi a primeira vez que tive contato com cavalo, e confesso que amei.

O passeio desbrava toda a propriedade a beira de um lago e leva cerca de 2 horas. Com o tempo, dá até para arriscar um galope e fazer a linha fera radical com os ventos no cabelo, sem falar dos acessórios de montaria que te fará se sentir a própria Madonna na abertura da turnê “ The Cofessions”.

Para quem fica hospedado a Estancia Puema Hue oferece quartos aconchegantes e pensão completa. Mas é possível também apenas passar o dia. Segundo o proprietário, eles estão muito acostumados a receber casais gays, principalmente americanos e europeus, mas brasileiros são pouco comuns, algo que ele adoraria reverter.

Outro passeio imperdível é visitar o Cerro Campanário, uma das atrações mais tradicionais do destino. Um teleférico nos leva ao topo, e lá de cima a vista do parque nacional de Nahuel Huapi, formado por lagos e montanhas com topos cobertos de neve, é impressionante. Fotógrafos da National Geografic elegeram como uma das vistas mais belas do planeta.

Mas a gente é aventureira né bi, e não poderia deixa de fazer um bom hiking. Escolhemos o Cerro Llao Llao, que entre nós, não foi é o mais alto. A vista lá de cima também é linda. Na volta, depois de mais de meia hora de decida a surpresa final: em uma pequena faixa de praia privada prepararam um almoço em uma tenda a beira do lago só para nós. Fofo!!! Super Pride arrasando na moral. A ideia do receptivo foi mostrar que é possível você fazer isso para impressionar e surpreender seu boy com um almoço pra lá de romântico. Eu casava na hora.

No verão o calor é forte e os dias são sempre ensolarados, lindos. Depois de um almoço super exclusivo, o bacana é fazer um passeio de barco e visitar as principais cachoeiras que descem as encostas das montanhas as margens do lago. Muito atento, o staff sacou nosso movimento e preparou um set list que foi de Madonna a Lady Gaga, passando por Ivete Sangalo e Daniela Mercury. O passeio também dura em torno de duas horas com direito a pescaria para você dar aquele close de bofe.

Outra recomendação incrível é conhecer o famoso Hotel Llao Llao que está entre os 10 melhores hotéis de montanha do mundo. A propriedade, construída em 1938, tem uma vista impressionante para a cordilheira do Andes e tudo lá faz jus as 5 estrelas de sua categoria.

Localizado no alto de uma colina, dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, entre os lagos Nahuel Huapi e Moreno, é cercado por montanhas e glaciares. Um escândalo. No final do dia um chá é servido aos hospedes e visitantes com docinhos e delícias que mais parecem joias. É preciso fazer reserva para participar e custa em torno de US$ 25  por pessoa.

Reserve também um almoço na Cervejaria Patagônia. Recém-inaugurada, a cervejaria já é um fenômeno de visitação. Pratos deliciosos acompanhados de cervejas artesanais concorrem com a vista deslumbrante. A casa está sempre lotada, por isso é bom fazer reserva antes.

Mas nem só de natureza vive Bariloche, à noite a pequena cidade ferve. As centenas de restaurantes e bares, especialmente os de cervejas artesanais lotam de gente bonita e as trocas de olhares são inevitáveis.

Para os amantes de um bom chocolate, uma boa noticia, dezenas de lojas espalhadas pelo centro comercial esbanjam a iguaria que é um dos orgulhos dos nativos. O chocolate produzido por lá é um dos melhores do mundo. Pode fazer a festa bi.

Recentemente, a Latam lançou um voo direto de São Paulo a Rosário e de lá para Bariloche. Isso facilita muito a vida dos turistas que já estão cansados de Buenos Aires e querem desbravar novos horizontes na Argentina.

Se você faz a linha fina, a última dica do Superpride é contratar os serviços da Frasson Travel ou da Senza Limit. Eles são experts na região e preparam tudo com muito carinho, além de adorarem os clientes gays, que, segundo eles, são os mais educados e divertidos. A gente é fina né bi? A gente é close certo!

Mas, se você for como eu, nem tão fina assim, Bariloche também tem ótimas pousadas e hospedarias, além de passeios que cabem em qualquer bolso! Se joga!!!

Comentários

Sobre o autor

Nelson Sheep

Nelson Sheep

Editor-chefe no Superpride, youtuber, editor, produtor e diretor do canal Põe na Roda. Formado em Rádio e TV pela Universidade Anhembi Morumbi, trabalhou com jornalismo econômico por 6 anos e fugiu para o mundo dos blogs para estimular o pensamento dos outros. É um ouvinte de primeira.