O governo da Malásia não queria deixar de passar o filme “A Bela e a Fera” nos cinemas do país (claro que não, visto que dará muito lucro!). Sendo assim, ele pediu gentilmente aos estúdios Walt Disney que autorizassem uma nova versão do longa, exclusiva para o país, em que as cenas do personagem gay LeFou fossem editadas da versão original. Não querem mais nada, né?

Uma edição retirando o personagem foi feita e aprovada pela censura do país. O presidente do Conselho de Censura de Cinema da Malásia, Abdul Halim Abdul, afirmou: “Cortamos apenas uma cena curta e inadequada para crianças que estarão assistindo ao filme.”

De qualquer forma, pouco adiantou o trabalho, uma vez que a Disney confirmou em comunicado à Bloomberg na última terça que “o filme não pode ser editado na Malásia ou em qualquer lugar”.

Resta saber como a censura do governo da Malásia agirá agora, liberando o filme na íntegra, subindo sua censura ou até proibindo a sua exibição. Relações homoafetivas entre homens ou mulheres são ilegais na Malásia e puníveis com prisão. Questionado se isso não era algum tipo de censura, o governo da Malásia lembrou que personagens homossexuais até podem aparecer na ficção, mas desde que sejam mostrados em uma conotação negativa ou se arrependam da sexualidade ao final da obra. ATÁ!

Vale lembrar que a decisão do governo da Malásia vem uma semana depois que a Rússia proibiu crianças de assistir ao filme por preocupações com suposta “propaganda gay”. O Estado do Alabama, nos Estados Unidos, também tentou propor proibição da obra nos cinemas.

Se interessou? Saiba mais sobre A Bela e a Fera e os países onde ser gay ainda é crime:

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!