A corrida é um dos esportes mais democráticos que existem, por isso, também é a primeira escolha de quem quer perder peso. Para praticá-la, não é preciso fazer grandes investimentos, ou ir até um lugar específico, mas, apesar dessas facilidades, a corrida, assim como qualquer outro esporte exige orientação e acompanhamento de um profissional.

“Praticar qualquer esporte sem o devido acompanhamento pode trazer prejuízos diversos para o esportista. No caso da corrida, as áreas do corpo mais afetadas são os joelhos, pernas, pés, tornozelos e coluna”, alerta o Dr. Nemi Sabeh Junior, coordenador do Centro Avançado de Medicina do Esporte, do Hospital Samaritano de São Paulo.

O especialista explica que existem dois tipos de lesões. As lesões por sobrecarga são as mais frequentes nos corredores. “Normalmente, este tipo de problema ocorre por treino excessivo e sem preparo, falta de descanso e também a falta de força”, alerta o Dr. Nemi.

As principais lesões por sobrecarga são a tendinite no tendão calcâneo, a fratura por stress, a osteotite do púbis, o joelho de corredor e a perostite tibial. “ A principal causa de problemas ortopédicos relacionados a corrida são os excessos, como no caso de mudanças de treinos e adição de treinos intervalados, ou seja, os famosos tiros na corrida”, explica o Dr. Nemi.

Quando detectado o problema, o atleta deve suspender o exercício até o final do tratamento. No caso da tendinite, o tratamento consiste em realizar uma avaliação para entender qual é o músculo afetado e a harmonia de movimentos entre as articulações. ‘ No caso de uma fratura por stress, devemos evitar o exercício e esperar a fratura consolidar para o retorno aos treinos’ explica Dr. Nemi

Já a osteotite do púbis e o joelho de corredor têm um tratamento um pouco mais demorado. Nestes casos, é importante trabalhar o fortalecimento da região com musculação aliada às sessões de fisioterapia. “O tratamento completo é fisioterápico. O profissional da área pode utilizar suas ferramentas de tratamento para analgesia e reforço muscular”, ensina o Dr. Nemi.

Além das lesões por sobrecarga, os entorses também podem prejudicar o desempenho dos corredores. “Esse tipo de problema costuma acontecer com quem não tem propriocepção, não trabalha fortalecimento muscular ou quem tem o costume de correr em terrenos irregulares”, diz o especialista. Em alguns casos, dependendo da gravidade do entorse, o treino deve ser interrompido para o tratamento.

Veja também:

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!