Na semana passada, você viu aqui no Superpride um vídeo em que cinco homens aparecem agredindo uma transexual em Wanderlândia, norte do Tocantins. As imagens viralizaram nas redes sociais e provocaram revolta nos internautas.

E a Polícia Civil acaba de identificar os agressores, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública do Estado. O caso está sendo investigado pela delegada Simone Aparecida de Melo e está sendo tratado como lesão corporal grave.

A jovem de 25 anos foi agredida com socos, chutes e pauladas até ficar desacordada no dia 27 de dezembro. O motivo da agressão teria sido por um suposto roubo de um celular, praticado pela transexual.

Para os agressores, a pena é de dois a oito anos de reclusão. “A delegada já identificou cinco possíveis autores da agressão e que aguarda o momento oportuno para proceder o devido interrogatório”, disse a secretaria.

A mãe da vítima, Maria de Lurdes da Silva, contou que na hora da agressão a filha tentou se esconder dentro de um baú no momento em que a casa deles foi invadida. “É uma covardia por terem pegado cinco elementos para bater em uma pessoa indefesa”, disse a lavradora.

Depois da agressão, a vítima foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde passou por exames. Ela não chegou a sofrer fraturas, mas levou pontos em ferimentos no rosto e outras partes do corpo. “Eu fiz o pedido de corpo de delito porque os agressores eu não tinha o nome deles. Mesmo que ela devesse, não justifica eles fazerem o que fizeram e ela não roubou o celular de ninguém”, afirmou a mãe da transexual.

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!