Política

Deputados querem cassar Jean Wyllys por reação à provocação de Bolsonaro

Pedro HMC

O deputado federal Jean Wyllys, do PSOL – e único parlamentar assumidamente LGBT abertamente defensor da causa – corre o risco de perder seu mandato. Ele está sendo acusado de falta de decoro parlamentar por ter reagido aos insultos e ofensas do deputado Jair Bolsonaro no dia da votação do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Na ocasião, Bolsonaro o provocava insistentemente enquanto Jean tentava discursar na votação do impeachment. Como num ímpeto impensado, uma reação imediata, Jean reagiu cuspindo em Bolsonaro.

Usando isso como desculpa para exercer seu ódio disfarçado, uma frente conservadora dos deputados do Congresso, estão usando este fato para mover uma possível casssação do mandato de Jean. Sim, o Conselho de “Ética” e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados — que já foi presidida pelo agora presidiário Eduardo Cunha e que conta com dezenas de representantes das nove empreiteiras da Lava Jato — instaurou um processo disciplinar contra Jean, um deputado contra o qual não pesa qualquer tipo de acusação por atos ilícitos ou contrários à ética.

O próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que nunca foi amigo e nem aliado do Jean e que está no lado oposto do seu pensamento político, quis arquivar o processo, porque reconheceu que era absurdo, mas os aliados de Cunha votaram e encaminharam as representações para o Conselho ainda que não se pese qualquer acusação contra Jean. Qual é a acusação contra o Jean? Ter cuspido em direção a um conhecido deputado fascista que há seis anos o provoca nas sessões, gritando para ele coisas como “cu ambulante”, “você usa papel higiênico para limpar a boca”, “queima rosca”, “bichinha”, etc?

Depois de seis anos de xingamentos, agressões, injúrias, ofensas, calúnias e desqualificações desse deputado, cujos seguidores deixam todos os dias insultos e ameaças de morte na página do Jean no Facebook, um dia, pela primeira vez, ele reagiu, indignado. E por essa reação querem puni-lo.

Se a Câmara dos Deputados do Brasil punir um ativista de direitos humanos por ter reagido às agressões de um parlamentar que declarou publicamente que não estupraria uma colega apenas “porque é feia” e que, em diversas oportunidades, usou contra o deputado Jean Wyllys palavras de calão no microfone da Casa, estará dizendo ao mundo que esse é o estado atual da democracia no Brasil.

Devido a ameaça de ter seu mandato cassado, Jean e seus apoiadores criaram a campanha #QueremCalarUmDeNós. Conheça o blog da campanha, informe-se e ajude a divulgar a causaem defesa do mandato legítimo do deputado Jean Wyllys.

Comentários

Sobre o autor

Pedro HMC

Pedro HMC

Autor do livro "Um Livro Para Ser Entendido", que desmistifica e explica questões do mundo gay para todos os públicos (compre aqui: https://goo.gl/6au4tf). Criador Põe Na Roda (http://youtube.com/poenaroda). Roteirista dos programas Furo MTV (2010 - 2012) da MTV Brasil, CQC da Band, Amor & Sexo e Adnight da TV Globo. Eterno fã das Spice Girls e marido do Nelson, mas ai de quem acusar de nepotismo!