Não tá fácil pagar as contas no final do mês. A retração da economia fez com que muitos brasileiros cortassem gastos e mudassem hábitos de consumo. Com isso, toda a cadeia produtiva do Brasil é afetada, fazendo com que as empresas também vendam menos, consequentemente, reduzindo investimentos e até provocando demissões em massa. É tempo de contenção de gastos! Portanto, qualquer notícia que traga alívio para os nossos bolsos precisam de destaque.

Dito isso, fique sabendo que os voos domésticos da Latam em países da América Latina vão funcionar em modelo “low cost” a partir do primeiro semestre de 2017. Essa mudança segue a tendência de outras empresas aéreas, principalmente europeias, e vai permitir que o passageiro escolha os serviços adicionais que deseja ter no voo, como viajar apenas com bagagem de mão sem custos adicionais ou despachar as malas; e comprar ou não a alimentação a bordo, que vai passar a ser cobrada nesse novo modelo. Isso vai permitir que o passageiro “monte” o voo da forma que deseja, pagando pelos serviços separadamente.

A presidente da Latam Brasil, Claudia Sender, afirma que “com as mudanças, nossos passageiros poderão escolher como voar e poderão voar mais vezes, o que resultará num crescimento de todo o tráfego aéreo”. A promessa é de que a mudança aumente capacidade de passageiros por voos, além de baratear as tarifas em até 20%.

O novo modelo será implantado de forma progressiva em voos da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador e Peru.

O presidente-executivo da Latam, Enrique Cueto, revelou que esse novo modelo deve aumentar o número de passageiros transportados em 50% até 2020. Além disso, a empresa também está investindo em ferramentas digitais, que vão mudar o processo de compra, check-in, embarque e pós vendas.

E por falar em viajar…

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!