Assim como a progesterona afeta diretamente o humor e personalidade das mulheres, a testosterona também influencia o comportamento masculino. Apesar de não se falar muito sobre o assunto, os níveis de produção deste hormônio no homem sofrem uma grande queda, a partir dos 40 anos, impactando a vitalidade, energia, autoestima e até na pele.

Sintomas da testosterona baixa

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a queda da produção do hormônio masculino afeta 15% dos homens entre 50 e 60 anos. A taxa alcança os 50%, ou mais, a partir dos 80 anos. No entanto, já é possível identificar uma deficiência desse hormônio na faixa etária entre 30 e 40 anos, com diminuição a partir de 1% ao ano.

A deficiência de testosterona pode se manifestar clinicamente por diversos sintomas, desde sexuais até físicos e mentais. Além disso, é observado problemas psicológicos como depressão, ansiedade, irritabilidade, flutuação de humor, dificuldade de concentração, queda de autoestima e autoconfiança.

Baixo interesse sexual

Esse é o sintoma mais específico quando se trata da queda nos níveis de testosterona. É possível identificar uma perda da potência sexual, disfunção erétil, perda das ereções matinais e, até mesmo, infertilidade.

Cansaço em excesso

A testosterona está diretamente ligada à energia do homem. Com a queda do hormônio, é comum que o paciente se sinta mais cansaço e sem disposição.

Problemas de memória

A testosterona também é responsável pela cognição e concentração. Com isso, essa área pode sofrer alguma alteração, assim como pode ser percebida uma dificuldade em relação à memória.

Alterações de humor

Mudanças bruscas de humor e, até mesmo, depressão podem estar ligadas à baixa produção do hormônio, uma vez que isso afeta o bem-estar do paciente.

Dificuldade para construir músculos

A testosterona influencia na construção muscular masculina. Com essa queda, o homem pode sentir dificuldade em criar massa, especialmente na região do abdômen. Em alguns casos, pode haver ainda uma perda de massa.

Aumento da gordura corporal

É comum o homem perceber um acúmulo de gordura, especialmente na região do abdômen.

Perda de massa óssea

A diminuição da testosterona é uma das principais causas da osteoporose masculina. Uma pesquisa da Universityof Western Australia, que acompanhou 3.600 homens com mais de 70 anos, revelou que os baixos níveis do hormônio têm ligação com problemas de mobilidade e a fragilidade de ossos em idosos.

Baixo crescimento de pelos

Níveis mais baixos do hormônio podem ocasionar uma queda no crescimento de pelos faciais, pubianos, nos braços e nas pernas.

Como aumentar os níveis de testosterona?

Alguns hábitos ajudam a aumentar a produção do hormônio masculino, como manter a qualidade do sono, alimentação balanceada e rica em raízes. Também é de extrema importância manter uma frequência na prática de atividades físicas, especialmente a musculação. Fazer sexo regularmente também pode ajudar, pois estimula bastante as gônadas (glândulas que produzem hormônios sexuais).

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!