E foi a ciência que encontrou a reposta para uma das questões mais antigas da humanidade: existe amizade entre o homem e a mulher?

De acordo com o artigo publicado no jornal Science.Mic, um novo estudo realizado na Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia, apresenta novidades para os defensores da impossibilidade de amizade entre sexos opostos. A pesquisa descobriu que homens e mulheres não se compreendem. No caso das meninas, elas interpretam os sinais de interesse sexual como amizade, enquanto, que o homem lê os sinais de amizade como interesse sexual.

Pode parecer estereotipado, mas, segundo o estudo, homens pensam sempre em sexo e na sua atração sexual. Os pesquisadores entrevistaram cerca de 308 estudantes universitários, entre os 18 e 30 anos, acerca das suas amizades, atrações sexuais e experiências que tiveram com o outro sexo oposto. Aí, eles relacionaram e concluíram que o problema está na interpretação errada dos sinais enviados pelo outro sexo.

O resultado foi que os homens geralmente sobrevalorizam o interesse sexual das mulheres. As mulheres entrevistadas foram mal interpretadas por amigos do sexo masculino, em média 3,4 vezes por ano. Por outro lado, as mulheres subestimavam o interesse sexual do sexo masculino.

Sobre esta tendência masculina de sobrevalorizar os sinais sexuais, os pesquisadores noruegueses supõem que isto se deve à necessidade de seleção natural do homem. Sendo que os instintos fundamentais do homem não permitem a falha de oportunidades. Dito isto, os cientistas também afirmaram que apesar destes sinais mal interpretados, as amizades entre pessoas do sexo oposto existem agora mais do que nunca. E isto pode ser um sinal de evolução.

Segundo o sociólogo Michael Kimmel, para a geração mais jovem, é muito mais fácil existir uma amizade entre homens e mulheres. Hoje em dia, essas amizades são encaradas como uma situação perfeitamente normal. Agora, e no caso dos gays?

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!