jovem-com-aids-filma-si-proprio-durante-relacao-intima-com-31-pessoas-e-acaba-presoNo noticiário internacional tá rolando uma história absurda de um universitário de 22 anos de idade, que filmou secretamente a si próprio durante relação sexuais desprotegidas com 31 pessoas.

O nome do cara é Michael Johnson, ex-lutador da Universidade Lindenwood em Missouri, que está sendo acusado de expor esses parceiros ao HIV.

A polícia investigou o caso e encontrou 32 vídeos das relações sexuais, que foram feitos durante quatro meses de gravações, no dormitório do rapaz na Universidade.

No Brasil

De acordo com o STJ do Brasil, a transmissão consciente do vírus HIV, causador da AIDS, configura lesão corporal grave, delito previsto no artigo 129, parágrafo 2º, do Código Penal Brasileiro.

A decisão passou a ser referência, quando, entre abril de 2005 e outubro de 2006, um portador de HIV manteve relacionamento amoroso com a vítima. Inicialmente, nas relações sexuais, havia o uso de preservativo. Depois, essas relações passaram a ser consumadas sem proteção. Constatou-se mais tarde que a vítima adquiriu o vírus. O homem alegou que havia informado à parceira sobre sua condição de portador do HIV, mas ela negou.

O TJDF entendeu que, ao praticar sexo sem segurança, o réu assumiu o risco de contaminar sua parceira. O tribunal também considerou que mesmo que a vítima estivesse ciente da condição do seu parceiro, a ilicitude da conduta não poderia ser excluída, pois a integridade física é indisponível. O réu foi condenado a dois anos de reclusão com base no artigo 129 do Código Penal.

 

Encontrou algum erro no post? Fale pra gente!